sábado, 25 de junho de 2011

Unidos jamais serão vencidos.


Pensei que o tempo sem postar ia ser grande, mas não, estamos de volta em menos de uma semana. Vamos ao que interessa.

Uma notícia que chamou muito minha atenção foi a parceria entre Lou Reed e o Metallica. Achei super interessante, pois um adota o metal e suas vertentes, já o outro gosta de um som mais clássico e linear em relação a trupe de James Hetfield. Mas o que eu mais gosto dessa parceria é que no nosso Rock, não devemos ter preconceito por estilos. Mas estamos tratando de nada mais nada menos do que Metallica e Lou Reed. Dois artistas fantásticos que por muitos anos levou nosso bom som.

"É um casamento feito no céu. Eu já soube na primeira vez em que tocamos juntos. Pensei, 'isso é perfeição, bem aqui na minha frente'. Eles estão trazendo o Metallica, com toda aquela força", declarou Lou Reed sobre a parceria.

Do outro lado, Lars Ulrich e Kirk Hammett dão suas visões : "Acho que nunca nos sentimos tão livres. Não há nada que está fora dos limites para nós. A nossa força é que parece que não temos como errar".
"Não parece que somos a banda de apoio dele. Sentimos como se fossemos uma nova banda, em uma situação que nunca estivemos antes"

Estou muito ansioso para ver o que vai dar essa salada. Em Rock do bom vai dar, sem dúvidas, mas resta saber se vai virar obra – prima. Todos esperam que sim.


Tocando no assunto dessa parceria, pensei nesse exato momento de relatar algumas muito legais e importantes que talvez a maioria daqui não viu e não saiba. Come On !.

Começando por uma bem interessante. Já juntou em sua cabeça Ozzy, Lemmy e Slash ? Se sim, teve sorte porque os três gravaram uma balada há muito tempo atrás, que acabou virando um single.

O mais estranho é ver Lemmy cantando uma balada. Ozzy cai muito bem porque sempre faz uma, como mostra a linda " I Mama Coming Here ". Slash esta no Guns, e sabe muito bem fazer um solo memorável. Agora Lemmy, que esta muito acostumado de cantar o refrão de " Ace Of Spades" e outras da fúria do Motorhead chega a estranhar. Mas ficou legal, parabéns aos três.



O Aerosmith inovou, como Steven Tyler e cia gosta. Misturou Rap com Rock, e essa mistura muito ousada naquela época deu o que falar, e arrancou muitos aplausos da critica.

A banda fez uma parceria com o grupo RUN DMC, e dai surgiu "Walk This Way". Por muitos é hoje uma das músicas mais queridas das duas bandas. O que seria dela sem aquele riff bem excutado por Joe Perry ?.

Só que para algumas criticas o Aerosmith iniciou uma caminhada esquecendo os bons tempos. Para mim não, acho que isso pode ser visto mais para frente.



E tocando ainda no assunto da turma do Aerosmith, eles fizeram uma parceria excelente na década de 90 que durou muito pouco. Tudo começou quando a banda trombou nos camarins do Rock N Roll Of Fame de 1995 com o Led Zeppelin, que na época se encontrava com Jimmy Page e Robert Plant.

Depois de muito bate – papo decidiram se reunir no Rock N Roll Of Fame e tocar " Bring It On Home", um ótima composição de Jimmy Page e Plant. E como tinha que dar errado ? Rolou muita presença de palco e um som de quem sabe.



Ainda o Metallica no meio, e a parceria mais recente desse post, os metaleiros fizeram uma apresentação no Rock N Roll Of Fame de 2009. Foi um dos melhores eventos que juntou grandes nomes, como Metallica, Ozzy, Jeff Beck, Sting, Buddy Guy e entre outros grandes artistas.

Ozzy Osbourne e Metallica se uniram, e nesse encontro de Heavy Metal, os dois tocaram juntos se eu não me engano pela primeira vez. Dois clássicos de Ozzy balançando o Madison Square Garden naquele lindo dia.



Por enquanto o que vemos é Jimmy Page executando a bonita "Stairway To Heaven", mas depois de um tempo, o apelidado de a “ Santissíma trindade “ volta a permanecer no ar. Eric Clapton e Jeff Beck se unem para terminar a canção. Era os tempos dos Yardbirds voltando naquela atmosfera. Basta conferir abaixo o último vídeo do post, agora representando os guitarristas.

Obs : Repare que Page erra varias vezes durante a base e o solo. Mas quem se importa ? Levar " Stairway To Heaven " nas costas com uma guitarra de dois braços não é para qualquer um ! Além do mais, devia ter tomado umas "biritas".



Esse é o nosso novo quadro, e continuem votando para decidir o próximo em nossa enquete que falta apenas dois dias. Quem diria que grandes nomes se juntariam um dia, e fique atento que tem muito mais pessoal.

Abraços a todos e se possível comente e avalie.

E como prometido nosso Facebook : Destroyer ( Facebook )
Deixe seu jóia !

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Em breve...

Meu caro amigos, por falta de tempo e internet os posts não estão saindo. Hoje iria postar um post muito bom, por isso, para não ficar muito parado nosso blog, ai vai um pouco de nosso post que abriría um novo quadro. Só semana que vem !



Siga a gente no Twitter : @destroyercity
Nos adicione no orkut : Destroyer Rock City
Vote no blog no Prêmio Top Blog
Se inscreva, acompanhe, vote em nossas enquetes, divulgue e aguarde o nosso futuro Facebook.

E veja o nosso portal, uma ideia muito boa que vocês vão gostar.

Me encontre também : Comissão do Rock Área Rock N Roll.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Um clássico seco e um molhado.


O Rock Nacional nunca foi tão promissor com o Secos e Molhados. Eu, particularmente tenho orgulho do Rock da banda nos anos 70, representando mais do que nunca o Brasil na era de ouro.

Antes da banda, Os Mutantes já faziam o cenário nacional com Rita Lee e cia. Em uma época em que o Zeppelin, o Purple, Sabbath, Who e entre outros reinavam, tinha uma esperança do grupo entrar nesse time. Hoje, sobre os pés da formação clássica de Ney Matogrosso, João Ricardo e Gerson Conrad, vamos entrar nessa profunda história entre o Secos e Melhados e o Rock.

O grupo foi muito importante para a música em geral no Brasil. Eles estavam fazendo tudo diferente, Ney Matogrosso era afinadíssimo e tinha como característica uma postura um tanto quanto Glam. Para muitos críticos, foi uma das primeiras bandas Glam do mundo, reverenciando o rótulo.

Ney era um tanto quanto “ emblemático “, em seu jeito de poesia e música. Era sempre comparado com o Freedie Mercury, e ganhava titulo de Mercury brasileiro. João Ricardo tinha um talento musicalmente excelente, além de Gerson, que brilhava em ótimas harmonias e arranjos. Adaptado e ligado ao Tropicalismo, mostrou sua fúria a ditadura militar em suas letras. Caetano Veloso já estourava com o sucesso de “ Alegria, Alegria “, Gilberto Gil tentava assim como Chico Buarque e outros artistas. 

Rock Progressivo e MPB também é a praia do grande conjunto. Muito bom notar a qualidade em que é posto o gênero em suas músicas. Solos, refrões e clássicos, como de completo, o Secos e Molhados é uma banda de “ROCK N ROLL” clássico.


Secos e Molhados ( 1973 )

O primeiro e maravilhoso disco de estreia. Bateu todos recordes de vendas e tabus, pondo a banda no topo. Começando com o clássico e a minha preferida “ Sangue Latino “, era mais do que nítido que o grupo não estava de brincadeira. É uma canção linda feito com qualidade.

O blues também estava presente, e o outro sucesso “ Vira “ é marcado por solos bem feitos, junto com a carisma e pegada. O álbum é quente, e ainda tem mais outras preciosidades, mas uma que não posso deixar de citar é a bonita "Rosa de Hiroshima".

Com apresentações de tirar o fôlego e muita expectativa para o próximo disco, o Secos e Molhados se torna uma banda consagrada. E detalhe que esse belo compacto foi eleito em varias listas como um dos melhores discos nacionalmente.


Secos e Molhados II ( 1974 )

O último álbum da formação clássica. Por desentendimentos e problemas financeiros o grupo acaba, se despedindo em mais um belo disco.

O novo compacto da banda esta mais instrumental e é bem fiel ao seu primeiro clássico. "Flores Astrais" é uma das primeiras grande músicas que antecede mais algumas. Porém, é um álbum que acho que só deve ouvir quem gosta de algo mais calmo e conceitual. Só para os fãs e admiradores da banda, que já mantêm uma ligação com ela.

Depois que teve o fim, João Ricardo continuou com a banda com outros componentes. O sucesso continuou porque tinha muito a mostrar. Mas acho que Ney Matogrosso, Gerson e João Ricardo marcaram época e nossas mentes.

Recomendo a todos verem essa excelente banda que fez muito pelo Brasil.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Agenda de Shows.


Aqui mais um campeão de audiência. Vamos agora saber quais são os principais shows que irão fazer a terra dourada ferver daqui para frente.

Eric Clapton

Nada melhor que começar com o grande mestre do Blues, Eric Clapton. O guitarrista chegará em Outubro e ira fazer parar as cidades de Porto Alegre, São Paulo e Rio.

Sensacional.

Mr. Big


O Mr. Big confirmou sua presença aqui no Brasil. Embalado pelos anos 80 e seus sucessos o grupo confirmou datas em São Paulo, dia 9/7 e Porto Alegre, no dia 10/7.

Judas Priest e Whitesnake


Dia 10/9 começará um evento, não é o Rock In Rio e sim duas grandes lendas do nosso Rock. De um lado representando o Heavy Metal, o Judas Priest se despede do Brasil em sua última turnê. Do outro, fazendo a cara do Hard Rock, o Whitesnake tem a frente David Coverdale.

Os dois subiram no palco, e São Paulo, Rio, BH e Brasília receberam essa mistura incrível de dois grandes desse tal de Rock N Roll.


Aerosmith

O Aerosmith confirmou apenas uma data, e o sortudo foi São Paulo. 30 de Outubro, a Arena Anhembi ira lotar para ver os clássicos de Steven Tyler, Joe Perry e Cia. Mas é bem provável que novas datas em outras cidades irão ser abertas.

Rumores de quem estará por vir :


Foo Fighters

Outras bandas e artistas :

Black Label Society, Blind Guardian, Danzig, Iron Maidens, Symphony X, Slayer, Virgin Steele.

Obs : Antes de comprar seu ingresso, pesquise os locais e confirme no site oficial da banda ou de venda de ingressos, se alguma das datas de sua banda mudou.

Bom divertimento Rockeiros.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Hard no ritmo do Rock – Parte 8


Depois de nossa grande lista, hoje eu volto com nossa série Hard no ritmo do Rock. Mas não é um post tradicional como os outros em que falo de bandas, curiosidades, vídeos entre outros. Hoje o post é especial e se chama Perdidos pelo espaço !

Perdidos pelo espaço vai relatar bandas que ficaram para trás, ou seja, bandas que não fizeram o sucesso merecido ao longo de sua carreira. E a pergunta mais escutada é porque elas ficaram perdidas ? Apesar de terem feito sucesso em sua época, só são lembradas pelos guru, amantes e jornalistas do assunto.

Essa pergunta não é difícil e quando se começa uma banda e alcançar o sucesso tem que ter garra, talento e sorte. Faltou garra? Talvez, faltou talento? E muito, e se faltou sorte? Sim, é o que mais faltou. Alguns se perderam através de brigas, falta de talento, sorte, garra, problemas com gravadoras, hora errada e assim vai.

São inúmeras bandas que se perderam, então é impossível mostrar todas nesse post. Mas mesmo assim nossa intenção é das melhores, e por isso vou tentar relatar algumas delas.



Começamos la pelos anos 60 e 70. Como sabemos o Hard Rock era pouco motivado, e sua definição era Atitude de mais e menos frescura. O Humble Pie era uma ótima banda que ao longo sua carreira uniu o Rock com a qualidade.

Mesmo o grupo tendo uma formação cheia de controversas, já rolou nomes como Peter Frampton e Steve Marriot. Seus clássicos fazem ainda a cabeça daqueles guru do Rock. Tin Soldier, Shine On, 30 Days In The Hole, For Your Love, Hot Nasty, enfim, o Pie tem uma grande discografia mas é pouco lembrada hoje na influência do Rock.

No começo dos anos 70 o estilo já vinha se fortificando, e o lado B mais ainda. O Dust é uma das bandas mais injustiçadas da década, e do Hard. Afinal, creio que a maioria que vai ler esse post não a conhece.

Formado por Richie Wise, o baixista Kenny Aaronson e o baterista Marc Bell ( futuro Marky Ramone do Ramones ) o Dust só lançou dois discos, uma vida curta que foi ótima. O segundo pronunciado como Hard Attack é muito bom e é considerado uma pérola do Hard setentista. O Purple deve ter ficado com inveja...

Um outro caso bastante injustiçado é o April Wine, grande banda que merecia muito mais do que teve. Assim como o Dust ficou para trás, mesmo tendo uma discografia excelente e grande. Recomendo muito essa ótima banda canadense.



Ainda nos anos 60 e 70 o Lucifer's Friend, o The Guess Who e o Sweet faziam Rock N Roll de qualidade e ambos foram boas bandas. O Lucifer´s era mais sujo e direto, diferente do Guess Who que levava o Rock na pegada em um Hard Rock mais americanizado. Já o Sweet ditava as regras do Glam Metal, uma excelente banda.

Alguem ja deve ter ouvido falar do Foghat ! Quem jogou Guitar Hero sabe do que estou falando. Slow Ride fez bastante sucesso, mas a banda foi sendo pouco importante na influência do Rock. O conjunto foi muito importante e deve ser bem escutado.

O Bugdie também fazia Hard puro, assim como Triumph, ótimas bandas. O Triumph puxava mais para o Heavy Metal, e o Budgie era mais direto e grosso no estilo do Thin Lizzy.  E você já deve conhecer o Whitesnake, a banda não esta aqui por ser uma banda consagrada, mas um guitarrista que passou por la chamado Adrian Vanderberg merece. Ele e sua banda Vanderberg mereciam muito mais nos anos 70.

E para representar uma banda de uma música só ? Sem dúvidas o Survivor é o melhor para fazer isso. Eye of the Tiger é o clássico que fez o brilho da banda. A música estorou porque os produtores resolveram fazer – la de tema para o filme Rocky. E vale lembrar que a banda tem qualidade e vale pena ouvir outras de suas músicas.

" O power trio Bugdie por volta do começo dos anos 70 "

Já nos anos 80 era outra coisa, o Hard estava mais popular e talvez para muitos nem melhor, mas muitas bandas foram injustiçadas. O ICON é uma banda por exemplo do Lado B dos anos 80, assim como o Autograph, ja citados em uma das edições, e com o Steelheart também não foi diferente. Eram três bandas puro ointentistas. O Brighton Rock era por vez o Glam Metal, e o Giant era uma força do AOR, mais mélodico e mais sensivel em relação ao Journey.

Ainda nos anos 80 tivemos o White Lion, uma ótima banda fez a cara desde do começo da década, e durante ela o YET, Black N Blue, Kix, Blue Muder, Warrant, TREAT e entre outras balançavam a rapaziada.

O final dos anos 80 era também forte no mundo do Hard Rock, o ótimo conjunto dos começo dos anos 90, Hardline mostra em seu som um Hard mais popular e adaptado ao começo da nova era do Rock. Talvez a ideia não tenha sido entendida, e acabou levando o grupo ao esquecimento.

Outra raridade é o Badlands, que foi composto pelo ex – guitarrista do Ozzy, Jake E Lee. Em uma banda de qualidade e pegada, infelizmente a turma do guitarrista se perdeu no espaço.

Enquanto isso, nas mulheres....

Quem acompanha o blog sabe que já falei dessa musa do Rock. Apesar de ser musa, de certa maneira não "emplacou" durante sua carreira solo. É muito interessante avaliar o desempenho da ex - Runaway em sua carreira solo. Mesmo assim Lita não deve ser desperdiçada no mundo do Rock.


" A musa Lita Ford exibindo o seu poder em um ensaio "

O Hard Rock é um mundo a ser desbravado. Pesquisem, procurem e descubram o lado B desse gênero.

Vejam essa lista feita pelo site Wikipedia para conhecer mais bandas infelizmente não citadas, lembrando que nem todas podem ser denominadas de Hard Rock. E aproveitando também, não esqueçam de perder o especial feito no Site Whiplash, no qual o autor fez com dedicação e carinho.

Infelizmente nossa série esta acabando, mais duas edições e Bye Bye. Fiquem atentos e quando citar esse post, não esqueça de nos deixar nosso devido crédito, pois plagio é crime e estamos de olho. Abraços e não esqueça de votar no blog mais quente para o Prêmio Top Blog.

Todos artigos são publicados por Guilherme M, exceto onde os autores são citados