sexta-feira, 30 de março de 2012

Smashing Pumpkins - Infinita Insanidade


Os Smashing Pumpkins é uma banda que é a cara de uma geração. Cercada por músicos inteligentes, solitários e que levam a vida através de uma banda de garagem, relatam os bons tempos e a vida em forma de lindas músicas e também em várias pauladas certeiras. 

Mellon Collie And The Infinite Sadness é o terceiro disco do grupo, foi lançado em Outubro de 1995, época em que não se criava bandas como antigamente e mostrou o auge de Billy Corgan ( guitarra e vocal ), James Lha ( guitarra ), Darcy Wretzky ( musa e baixo ) e Jimmy Chamberlin ( bateria ). Mellon Collie chegou a entrar na lista da Rolling Stones como um dos melhores álbuns de todos os tempos. " Dureza, garotos legais nunca têm vez ".

Podemos perceber a influência da banda através do Pixies, Billy Corgan já dizia : " O Pixies foi uma de nossas grandes influências ". É fato que os Pixies eleveram o Rock a mais um patamar, que no caso é o tão famoso e maravilhoso Rock Alternativo. Já o Smashing Pumpkins foi mais além e transformou o que os Pixies tinham feito na década de 80 em uma evolução fantástica do gênero.

Mas foi tudo planejado, Billy queria ser tão significativo como Pink Floyd foi quando pois " Another In Brick In The Wall " nas paradas e o Nirvana o mesmo com " Smells Like Teen Spirit ". Ele gostaria de uma obra - prima e conseguiu, acertou em cheio. O conjunto na época gravou mais de 60 músicas e o objetivo era fazer seu álbum anterior, Siamese Dream, como um disco duplo. E como eles estavam de mudança, Billy deixa felizmente seu egoísmo de compor todas as músicas, e assim, somos presenteados com " Take Me Down " e " Farewell and Goodnight " , ambas compostas por James Lha.

O trabalho é super bem produzido, ficaram nas mãos de Mark Ellis, também conhecido como Flood e de Alan Moulder.


" Quanto mais você muda, menos você sente "

Dawn To Dusk 

Mellon Collie And The Infinite Sadness é dividido em duas partes, a primeira é Dawn To Dusk. Seu começo é maravilhoso, conta com a ótima faixa título que abusa do uso dos sintetizadores e o sucesso " Tonight, Tonight ", contando com uma Orchestra competente. Começa com um ritmo frenético, e deparamos com algumas pauladas pesadas, como " Zero " e "  Bullet With Butterfly Wings ".  Depois encontramos uma parte mais experimental, em que usam diferentes tipos de instrumentos, alternando de bandolins, teclados e violão clássico. " Cupid De Locke " sem dúvidas marca essa parte.

Twilight To Starlight


Twilight To Starlight resgata os bons momentos de Dawn To Dusk e começa em faixas pesadas. Mas logo depois as regalias já aparecem, como a bonita " Thirty Three " e o clássico maravilhoso " 1979 ", minha música preferida da banda. Billy Corgan se superou e essa canção vai ser difícil você esquecer, para mim ela não tem mais volta. Logo em seguida não tem erro, é pérola atrás de pérola, até terminar nos braços de  " By Starlight " e " Farewall and Goodnight ", duas peças fantásticas.

Não tem como não esquecer de Mellon Collie And The Infinite Sadness, é um disco inesquecível que muitos leitores podem gostar. Billy Corgan tem uma voz envolvente como mostra " 1979 ", o guitarrista James Lha é brilhante na maioria das faixas, mas suas passagens em " By Starlight " são dignas de um talento. A musa Darcy é fera no baixo, além de Jimmy Chamberlin alterna entre momentos calmos e furiosos em sua bateria ao longo da jornada.  O Pumpkins só voltam a gravar novamente em 1998 com Adore, mas enquanto isso eles foram aproveitando o ótimo momento em shows inesquecíveis ao redor do mundo.  

E foi se o tempo em que eu já cantava esse álbum pelas ruas...hoje eu deito e digo : Bons tempos. O  Smashing Pumpkins, assim como outras grandes bandas conseguem provocar essa saudade inexplicável em sua mente. Na verdade não são eles que provocam, e sim, esse universo que o pronunciamos de Rock N Roll.

" Adeus e boa noite "

segunda-feira, 26 de março de 2012

Banda dos Sonhos ( 2 )

Algumas semanas atrás havia postado minha "  Banda dos Sonhos ". Hoje, vocês verão as bandas do pessoal que mandou pelos nossos comentários.

Começando com o parceiro Daniel, dono do blog Textos, Música e Poesia.

Vocal - Liam Gallagher

Guitarra solo - Keith Richards

Guitarra rítmica e vocal - John Lennon

Baixista e vocal - Paul McCartney

Baterista - Keith Moon




" Liam Gallagher com John Lennon e MacCartney seria uma boa, mas o duro seria aguentar o mala na foto acima. Keith Richards já teria fincado uma guitarra nele "

Agora o Gabriel, vencedor de nossa última promoção e que participa do blog Combe do Iommi. " Muito difícil escolher uma "banda dos sonhos", visto que eu gosto de muitos gêneros diferentes, mas acho que seria essa "

Mike Knopfler - vocal, guitarra solo
Malcolm Young - guitarra rítmica
Geezer Butler - baixo
Alex Van Halen - bateria



" Essa banda seria fantástica, poderia combinar a técnica de Knopfler com a de Young, mas o estilo de Knopfler está anos luz ao de  Geezer Butler e Angus. Alex Van Halen foi a escolha que mais gostei, pois esse toca muito"

Rango Rock também enviou sua formação.

Vocal/Baixo - Lemmy kilmister (is God)
Guitarra Solo - Angus Young
Guitarra Base - Adrian Smith
Bateria - Lars Ulrich
Roadie's - Jimmy (matanza)
Paulão (V.V.)


" Sem palavras. Foi a formação que mais combinou até agora, pois todos integrantes sabem o peso do Rock N Roll "

E por fim, Fernando Anselmo também relatou sobre o problema da identidade e o Led Zeppelin como uma banda perfeita. Mas o que mais gostei é que ele não pegou os " já manjados ", inovou. 

Vocal - Steve Winwood
Guitarra - Dickey Betts
Baixo - Chris Squire
Bateria - John Bonham

" A mais inovadora. Steve Winwood é um bom músico que combinaria com as raízes Southern do grande Dickey Betts. Chris Squire enlouqueceria com sua pegada no baixo, e para terminar, o peso de John Bonham. Muito bom "


Um abraço a todos e até a próxima....

quinta-feira, 22 de março de 2012

Crazy Janis, Cry Joplin

Fala pessoal.

Estou com falta de tempo e estou passando só para deixar uma música que quando ouvi a muito tempo atrás eu pirei. Até hoje ela me arrepia, não deixe de ouvir esse clássico, " Cry Baby " da musa Janis Joplin.

E o mundo viu sua genialidade...

Ótimo final de semana a todos !

sexta-feira, 16 de março de 2012

Meu primeiro contato com o Rock ( Pedro Sodré )

Opa

Hoje é o primeiro post do quadro " Meu primeiro contato com o Rock ", estrelando o grande amigo e parceiro Pedro, dono do blog Comissão do Rock. Fã de Nirvana inquestionável e futuro jornalista, também conhecido como Pete Sudray, ele fala de suas bandas favoritas, músicas que o marcaram, seu começo em blogs e claro, seu primeiro contato com o Rock. Não poderia ser outro para começar essa bagaça, a palavra é sua...





" Tudo começou de uma forma inusitada. Em 2007 eu criei minha conta no Orkut e comecei a adicionar os amigos até que encontrei o Rafael Pimenta (se você acompanha a Comissão já deve ter ouvido falar dele), um cara com quem eu estudei durante um ano no colégio. Já fazia tempo que a gente não se falava, porque ele saiu do colégio e depois de nos adicionarmos no Orkut fizemos o mesmo no msn.

Logo na primeira conversa que a gente teve ele me pergunta se eu gosto de rock. Na época não conhecia muito, ou melhor, quase nada e ele falou que ia me mandar algumas músicas para ver se eu gostava. E eu só pensava:  - será que eu vou gostar dessas músicas doidas? hahsuau. Acabei não só gostando, mas me tornando fã do bom e velho rock'n roll.

Depois disso Rafael passou a me convidar para os ensaios da banda dele, em seu condomínio e passei a conhecer mais de perto como funcionava uma banda de rock, além de colaborar, gravando vídeos, indicando integrantes quando necessário etc. Depois que eu aprendi a tocar, há um ano e alguns meses, foi a vez dele de apoiar e mesmo não tendo tanto tempo, já apareceu em alguns ensaios da minha banda para dar algumas dicas, já que estamos começando.


Voltando às músicas, começamos com U2, banda a qual ele era fã e que eu demorei um pouco a gostar. Depois passamos para o punk com as bandas The Offspring, Pennywise, Ramones, entre outras. Foi aí que eu passei a construir um pouco meu gosto musical. Hoje ainda curto punk, mas sou fã também do Grunge (Nirvana é a minha banda favorita) e do Rock Alternativo. Simpatizo um pouco com algumas bandas clássicas de metal, mas não sou tão fã do estilo. Rafael passou também a me convidar para os ensaios da banda dele, em seu condomínio e passei a conhecer mais de perto como funcionava uma banda de rock e a participar indiretamente, gravando vídeos, sugerindo integrantes para complementar a banda etc

Evidentemente que essa descoberta do rock contribuiu também para essa minha "carreira" como blogueiro. Eu criei meu primeiro blog primeramente para compartilhar toda essas experiência musical que eu estava tendo. Comecei com o Rock Forever , na plataforma da UOL e foi lá que eu conheci o Guilherme, que era um dos meus leitores mais fiéis, junto com o Matheus Assis, que mais para a frente viria a ser colaborador da Comissão. Depois de dominar toda a estrutura da UOL eu resolvi mudar para o Wordpress, por ser uma plataforma com mais opções. Surgiu o Absolute Rock, que foi um blog em que tínhamos uma interação muito boa com os leitores que frequentemente comentavam em meus posts. O Absolute Rock durou apenas um ano. Depois disso resolvi migrar para o Blogger, só que dessa vez foi diferente: o blog não seria admistrado por mim, mas também teria a contribuição do Guilherme e do Matheus que aceitaram fazer parte do projeto. Desses dois apenas o Guilherme continua na equipe. Além de ser meu braço direito ele se tornou mais um grande amigo que o rock me apresentou e hoje nós continuamos apresentando o rock por ele ter sido muito importante para a gente "




Obrigado Pedro !
Em breve mais um convidado...

domingo, 11 de março de 2012

E o Rock se estranhou



Quem diria que o mundo do Rock veria uma das parcerias mais inusitadas dos últimos anos. De um lado temos o Metallica, que todos já conheçem sua tragetória para o topo do Metal. Do outro vemos Lou Reed, grande músico, líder e fundador do Velvet Underground e também dono de ínumeros álbuns ótimos durante sua carreira, tocando desde Folk a Piscodelismo.

Os sinais dessa parceria já vinha acontecendo em alguns shows que ambos vinham realizando, um deles no Rock N Roll Of Fame, mas ninguém saberia que por trás disso havia um disco. Quando foi anunciado, " Lulu ", para mim era até então um dos álbuns mais esperado de 2011, juntamente com " Forevermore " do Whitesnake.

Algumas demos foram mostradas, a capa anunciada e tudo estava pronto para o lançamento. Resumindo a obra ao todo, é o Metallica com Lou Reed como vocalista. Eu confesso que fui um pouco ingênuo e esperava o Metallica tocando Folk, Soul ou se adaptando ao um estilo totalmente oposto ao do grupo, até porque eles sempre deixam uma balada bonita em seus trabalhos. Eu gosto quando bandas ousam e fazem sons inusitados, e já era de se esperar críticas pesadas, como Lars Ulrich disse : " Já esperava " .  Não diria que Lulu quebrou Lou Reed mas o cara sabe o seu faro, mas mesmo assim, se adaptou muito bem ao gênero apresentado e certamente fez a alegria de alguns fãs metaleiros espalhados pelo mundo.

Lulu começou com Reed, que se inspirou em uma peça de teatro. Está longe de ser um disco ruim, pelo contrário, apresenta letras bem trabalhadas e uma pegada única, só que uma ou outra faixa chega a te empolgar, resumindo, ele é fraco. Apesar de soar bem o Metallica, difere bastante da realidade da banda, porque Lou Reed deixa com um toque obscuro e tenso, fugindo da sonoridade tradicional  que eles vem apresentando ao longo dos anos.

Lulu foi pensado para expandir novos horizontes musicais, tanto quanto de Lou Reed quanto do Metallica. Apesar de me simpatizar com " The View " o compacto deixa a desejar, apresenta pelo menos uma temática interessante.

Uma vez Brian Johnson, vocalista do ACDC disse que a crítica acabou com os discos de Rock. De fato, ele leva uma verdade sobre essa afirmação, pois sempre tem alguém que goste daquele álbum negativado mundialmente. Mas isso é o de menos, a verdade é que influência aqueles que seguem o trabalho do crítico. O leitor nem passa perto da obra criticada negativamente, sendo que possa servir seus ouvidos. Eu sempre costumo fazer resenhas de discos bons, mas não poderia passar Lulu.

Você deve ouvi - lo, mesmo que não lhe agrade. Lulu é estranho, muito estranho. Essa parceria vai demorar para ser esqueçida, todos vão lembrar que o único legado deles não deu certo, apesar disso, foi bom ver o Rock N Roll inovando e se estranhando.


Qual será a próxima ?

segunda-feira, 5 de março de 2012

Agenda de Shows ( 5 )


Hoje, o quinto post do quadro Agenda de Shows. Falaremos das pérolas clássicas que o Brasil vai receber e tentamos também fazer a profecia de alguém que pode dar as caras por aqui.

Bob Dylan 


Nada melhor começar com Bob Dylan, que anunciou shows no Rio de Janeiro ( 15/4 - Citibank Hall  ), Brasilia ( 17/4 - Ginásio Nilson Nelson  ), Belo Horizonte (  19/4 - Chevrolet Hall ), São Paulo ( 21/4 e 22/4 - Credicard Hall ) e por fim Porto Alegre ( 25/4 - Pepsi Stage ). Quem ver um de seus shows vai ser presenteado com seu talento nato. Eu pagaria só para ouvir " Like a Rolling Stone " ao vivo, além de outros hinos.

Roger Waters


Um dos grandes remanescentes do Pink Floyd vem ao Brasil para mostrar novamente o álbum The Wall, um disco indiscutível para a história do Rock que elevou a banda em um lugar mais alto do que já estava. Para conferir a viagem é só ir em Porto Alegre ( 24/3 - Beira Rio ), Rio de Janeiro ( 29/3 - Engenhão ) e São Paulo ( 1/4 e 3/4 - Morumbi ).

Mas corra porque os lotes estão quase acabando

Buddy Guy


O ótimo bluseiro e guitarrista Buddy Guy vai dar as guitarras por aqui, é muito bom ter um pioneiro e mestre em nossas terras. Enquanto o pessoal se preocupa com o Foo Fighters e outros, seria uma honra ver um timbre e técnica inesquecível como a de Guy. Rio de Janeiro ( 11/ 5 - Vivo Rio ), São Paulo ( 12/5 - Via Funchal ) e Porto Alegre ( 15/5 - Teatro Bourbon )

Lollapalooza


O festival que traz nomes como Foo Fighters, Joan Jett, Janes Addiction e outros acontecerá nos dias 7/4 e 8/4 no Jockey Club em São Paulo. O festival sempre teve prestígio na América tendo grandes bandas em seu Line - Up, mas a bola da vez é o Brasil.

Metal Open Air 


Outro festival só que dessa vez quem sai ganhando é São Luis do Maranhão. No dia 21/4 o Metal Open Air leva junto em sua bagagem Anthrax, Blind Guardian e Andre Matos.

E a profecia foi feita 
Quem estará por vir :



Outros shows recomendáveis : Titãs, Sebastian Bach, Tarja Turunen, Joe Cocker, Anthrax, Misfits, Blind Guardian e Suzi Quatro.

Obs : Antes de comprar seu ingresso, consulte o site oficial do organizador para que confirme as datas estipuladas.


---------------------------------------------------------------------------------------


Participe do post Banda dos Sonhos e siga - nos no twitter


Até a próxima

Todos artigos são publicados por Guilherme M, exceto onde os autores são citados