quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

2013

Enfim, chegamos a 2013. Merecendo ou não, vamos entrar de férias, afinal estamos o ano inteiro falando desse tal de Rock N´ Roll. Um sossego é bom, mas não por muito tempo. Fiquem aguardando que tem muita novidade vindo por ai.

Um abraço a todos e um feliz 2013.


quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Feliz Natal

O Destroyer deseja um Feliz Natal com muito Rock N ´Roll a todos os seus leitores.


----------------------------------------------------------------------------

Eai ?
Tavam falando por ai que você ia acaba ? Cadê ?


Até logo.


sábado, 15 de dezembro de 2012

Playlist - Teu futuro espelha essa grandeza


Como já havia dito o Brasil teve uma das melhores músicas do mundo e da história. Foram grandes nomes que se foram ou que ainda continuam na estrada. Considerando a voz, a atitude e o talento, essa playlist reúne 20 grandes cantores que honraram ou que honram esse país. Tim Maia e suas declarações de amor, Wilson Simonal apresentando sua nega chamada Tereza, o lindo Baby de Gal Costa, a vida de viajante de Conzaga, a intensidade de Renato Russo e muitos outros. 

O foco não é o Rock N ´Roll como de costume, mas que tal conhecer de perto a verdadeira música brasileira. Com mais de uma 1 hora de duração é só apertar o player e saber que o teu futuro espelha essa grandeza.

domingo, 9 de dezembro de 2012

Caetano Veloso - Alegria, ai eu vou !

“ Alegria, Alegria ” de Caetano Veloso é  uma das músicas, se não a mais, importante da história da música brasileira.  Lançada em 1967, marcou o Tropicalismo e a luta contra a ditadura que se encontrava no auge aqui no Brasil. Inspirado em " A banda " de Chico Buarque,  a música trazia uma sonoridade jamais vista na época, era uma marcha que se encontrava com o uso de guitarras, onde chamou muita atenção. “ Alegria, Alegria “ é um clássico, é Rock ( um dos primeiros ), poesia, livro e filme.

Salve a música brasileira !

sábado, 1 de dezembro de 2012

5 discos que você deve ouvir do Legião Urbana


Aqui está a primeira lista ao bom Rock nacional. Tão rico e fantástico que só agora me toquei que não tinha nenhuma a respeito. Vamos começar com o pé direito, ok ? Hoje quem toma conta é o Legião Urbana, que se tornou a muito tempo uma das melhores bandas de Rock do mundo.

Direto do planalto central, a banda foi uma peça fundamental para uma geração. Era meio que os Beatles brasileiro no sentido filosófico e também um pouco musical. Mas em questão sonora, o grupo levou mais para o Rock Alternativo, como : The Smiths, Jesus And Mary Chain, Pixies, U2 e The Cure, suas principais influencias.

O Legião Urbana foi muito além do imaginado. Não pelo sucesso e loucura dos fãs, mas sim, por uma maneira de pensar, agir, seja politicamente ou religiosamente. Vindo especialmente de uma cabeça pensante chamada Renato Russo. O músico não iria gostar, mas infelizmente o Rock aqui no Brasil virou uma religião.

" Vocês são a verdadeira Legião Urbana "


Legião Urbana - 1985




O primeiro disco da banda saiu em 1985 mas demorou para emplacar. O clássico começa com " Será ", que na minha opinião conta com uma visão patriota de Renato Russo, ao declarar a situação do Brasil durante os anos, de ser explorada e de ser uma pais tão especial e importante. " Petróleo do Futuro ", " Ainda é Cedo " e " Geração Coca Cola " dispensam comentários. O álbum termina na melancólica " Por Enquanto ", uma bela canção que retrata como nenhuma outra a sensação de estar apaixonado. Era um começo digno de uma grande banda, começando sua jornada para entrar para a história da música brasileira.

Dois - 1986



Dois na verdade seria um álbum duplo até com nome determinado. A gravadora na época não fui muito com  a ideia e a banda acabou optar por lançar apenas um disco. Dois só reforçou a popularidade e a ascensão do Legião Urbana. Vendeu mais de 1 milhão de cópias e colocou definitivamente o grupo na história. Uma das mais bonitas histórias de amor estava lançada com " Eduardo e Monica ", a marcante " Tempo Perdido " com uma bela performance de Dado Vila Lobos emociona qualquer um, sem esquecer do drama de " Índios " que Renato Russo compôs em sua fase deprimida. 

Que  país é esse ? - 1987


Que pais é esse não trazia nada de novo, pois como a banda estava excursionando e contando com toda aquela rotina de um grupo de Rock, a gravadora estava pressionando para que lançassem um novo trabalho, imediatamente. O quarteto entrou em estúdio e pegaram as faixas mais antigas, compostas por Renato Russo quando ainda estava no Aborto Elétrico. " Que pais é esse ? ", " Tédio " e " Química " são exemplos dessas. " Faroeste Caboclo " é épica, assim como " Eu Sei " e " Mais do Mesmo ". É um dos discos que você deve ouvir antes de morrer, sem dúvidas.

Obs : O último disco do baixista Renato Rocha.

As quatros estações - 1989



As quatros estações quebrou um paradigma no grupo. Naquela época todos integrantes estavam sendo pais, inclusive Russo, que apesar de sua sexualidade assumida teve relações com uma fã, deixando seu herdeiro. Sendo assim, a banda mudou completamente a postura. De um grupo de Rock revoltado, a simplesmente músicos " adequados " e calmos, que queriam passar outra mensagem conforme o tempo foi passando. Tá certo que a loucura e gênio difícil de Renato Russo continuava, mas era um Legião Urbana de certa forma diferente. " Há Tempos " é fantástica, assim como a linda " Pais e Filhos " onde trouxe momentos inesquecíveis durante as apresentações da banda.

V - 1991


Para terminar V. Como disse anteriormente, a postura do conjunto mudou. Renato Russo estavam mais romântico e poeta do que nunca, e isso resultou em mais belas músicas. " Metal contra as Nuvens ",  " Teatro dos Vampiros " e " Vento no Litoral " guardam um disco completamente lirico, tranquilo e bonito.

Agora, um apelo. Muitos dizem que o Legião Urbana só foi por causa de Renato Russo, mas tenho que discordar. Tá certo que o vocalista foi a alma do grupo, mas Dado Vila Lobos tem uma importante função. O guitarrista criou ótimos riffs em sua guitarra que são a base da estrutura dos sucessos do conjunto, a exemplo de : " Tempo Perdido ", " Há Tempos ", " Indios ", " Pais e Filhos " e muitas outras faixas. Destaque também para o baterista Marcelo Bonfá.

Menção Honrosa :

O descobrimento do Brasil ( 1993 ) e A tempestade ( 1996 ) são bons registros, estão longe de ser obras - primas como os primeiros discos da banda, mas são indispensáveis.

O Legião Urbana aparece em nossas duas listas especiais : Menção Honrosa com Que Pais é esse ? em 50 discos que você deve ouvir antes de morrer, e MTV Acústico com um lugar entre os 50 discos ao vivo que você deve ouvir antes de morrer.

Se pudesse faria uma playlist da banda, mas não consegui. Por isso, deixo a melhor música que representa o Legião Urbana. Esse incrível fenômeno.

Abraços !


Brendan Brenson – What Kind Of World



Ainda que seja mais lembrado como membro do Raconteurs, o multi-instrumentista Brendan Brenson está longe de ser uma sombra de Jack White. Dono de uma carreira solo elogiada, ele já foi chamado de um dos maiores compositores americanos da atualidade, e ainda tem no currículo pelo menos uma obra-prima do power pop – Lapalco, de 2002.

Seu quinto álbum de estúdio, What Kind Of World traz toda a síntese de sua carreira: refrões contagiantes, arranjos e melodias bem construídas e guitarras de rock bem amarradas por uma ótima produção, que revela influências de grupos como Big Star, Badfinger e Todd Rundgren.

Acontece que Brenson atingiu um ponto de sua carreira que é prejudicial a qualquer artista: desde seu último disco, My Old Familiar Friend, entrou na zona de conforto e produz seus trabalhos no piloto automático. O álbum ainda tem bons momentos, como belíssima ‘’Bad For Me’’, a soturna ‘’Pretty Baby’’ e o balanço de ‘’Thru the Ceiling’’, e segue agradando durante toda a audição. Mas fica ao final, a sensação de vazio. Tudo é executado com precisão milimétrica, mas falta a faísca para iniciar o incêndio; falta espontaneidade.

Enfim, What Kind Of World é bem executado e bem produzido, mas é artificial, sem vida. É rock de plástico, aliás , um ótimo Rock de plástico.

Recomendadíssimo !

Todos artigos são publicados por Guilherme M, exceto onde os autores são citados