segunda-feira, 4 de abril de 2011

Ozzy Osbourne - São Paulo ( 2011 )

" Era mais do que um show, ou um espetáculo !
Era Ozzy Osbourne "

Enquanto esperava um tal de Ozzy Osbourne na fila da Arena Anhembi eu já ouvia os primeiros ritos. Eu só precisava passar de um cara para ver um dos melhores shows que já vi.

Quando passei dele, o som rolava de Sympathy Devil do Stones, chegou a arrepiar, mas não como o show. Enquanto todos aguardavam o mestre Ozzy, a chuva caia sem dó. Me protegi uma vez, duas vezes, e já na terceira eu desencanei e me juntei a cerca de 30 mil pessoas e me deixei molhar por inteiro e curtir ele. Era eu e 30 mil pessoas esperando Ozzy Osbourne, Gus G, Tommy Clufetos e Rob "Blasko" Nicholson concluindo mais um show da turnê Scream.

As 8:00 o Sepultura pisou no palco para abrir o show. Nunca gostei da banda, e eu queria mesmo era ver Andreas Kisser, um ótimo guitarrista, que além dele o baterista Jean Dollabela mostrou serviço em uma bateria furiosa e precisa. O Sepultura arrancou bastantes aplausos e foi muito bem recebido, mas todos estava gritando mesmo por " Olê Ozzy ".
As 9:30 em pontos, Ozzy levava ao todos delírio com a sensacional Bark At The Moon. Era Ozzy começando seu espetáculo. E logo em seguida, a ótima música Let Me Hear Scream do disco Scream deu as caras e me arrepiou por inteiro, pois com ela, é muito dificil ficar parado, ainda mais com a clássica Mr. Crowley que teve a intro tocada pelo ótimo Adam Wakeman. Naquela altura Ozzy já tinha recebido a bandeira do Brasil e enrolado em suas costas, como faz em todo show que passa.

I Don´t Know, Fire Wear Boots, a clássica Suicide Solution e Road To Nowhere vieram em seguidas. Já com a emblemática War Pigs o momento foi inesquecível. Era uma chuva que caia sem dó, mas mesmo assim ninguém se abateu e a chuva virou parte do show e ficou ainda mais inesquecível. Os Riffs poderosos da guitarra de Gus. G se juntou com o coro que pairava sobre o ar.

Vi um Ozzy muito carismático, alegre e correndo de um lado para o outro. É fato que não é nem sombra do que era a vinte anos atrás, mas mesmo assim o cara deitou. Continuou o mesmo brincalhão de sempre, até quando mordeu um morcego de mentira e fez graça com a galera.

"I Can not hear you, Baby"

O grego Gus. G mostrou que é um excelente guitarrista a altura de Zakk Wylde. Em vários minutos fez solos ótimos e até brincou tocando Brasileirinho. Achei bem legal, pois é mais do que uma prova de que eles preparam um verdadeiro show, presenteando cada fã.

A cada batida do baterista Tommy Clufetos todos já gritavam Iron Man. Foram dois alarmes falsos, mas quando Ozzy pronunciava “ I Am Iron Man” todos já estavam a loucura. I Don't Want To Change The World empolgou, mas não como Crazy Train, que foi o momento que cada um sentiu que tudo estava perfeito.

Não tinha acabado, os 30 mil fãs gritavam sobre a linda Mama I'm Coming Home, chegando a empolgar o grande Ozzy. Eu estava sentindo falta de uma só música, era No More Tears que infelizmente não foi tocada. Mas mesmo assim, todos gritavam sob o embalo de “ One More Song”, e no meio disso surgiu Paranoid, o contagiante clássico do Sabbath que fechou o repertóro com chave de ouro.

A chuva não atrapalhou em nada. Foi um show arrebatador que nunca vou esquecer. Sobre centenas de Chifrinhos, sobre baldes de águas e chuveiradas de mangueiras. Ninguém era esquecer o dia em que Sr. Ozzy Osbourne pisou em terra paulista, ou seja, em terra brasileira.

7 comentários:

  1. Amanhã é minha vez! \,,/

    Eu li trechos da coletiva dele e ele disse que o set de cada show é uma surpresa porque não dá pra tocar tudo, mas pelo visto o de Sampa foi o mesmo de POA. Tinha esperança de que rolasse No More Tears; e até mais do Scream, que eu, particularmente, gosto muito. Daria tudo pra ouvir Let It Die e Life Wont Wait.

    Mas paciência. É Ozzy Osbourne na minha cidade, CARALHO! O bom daqui é que vai ser coberto, hihi


    Abraços, moço o/

    ResponderExcluir
  2. Realmente, um show inesquecível.

    Este foi, sem dúvida, o show da minha vida!

    ResponderExcluir
  3. Melima

    Muito bom o show dele, mas infelizmente queria ver No More Tears. Foi uma grande pena, mas mesmo assim não estragou o espetáculo.

    Volte sempre !!!

    ResponderExcluir
  4. É Giovani, o show foi ótimo mesmo. Volte sempre cara !!!

    ResponderExcluir
  5. Nossa... mesmo eu não podendo ir estou muito feliz, pois o Principe das Trevas continua com um talento e tanto O/
    e a musica dele que eu mais gosto é No More Tears principalmente a versão dela com o Primus e não foi tocada ,que pena,sempre vou ao delírio com essa versão
    Mas o que importa é que o show foi muito bom e voces cutiram
    abraaaços Natasha

    ResponderExcluir
  6. É isso ai Natasha. Obrigado pelo comentário !!!

    ResponderExcluir
  7. Olá
    Seu post foi divulgado na Teia.
    Até mais

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário e sua opinião, pois é muito importante para nós. E lembrando que todos comentários serão analisados e respondidos.

Obrigado pelo comentário e Volte sempre.

Todos artigos são publicados por Guilherme M, exceto onde os autores são citados