segunda-feira, 6 de junho de 2011

Hard no ritmo do Rock – Parte 8


Depois de nossa grande lista, hoje eu volto com nossa série Hard no ritmo do Rock. Mas não é um post tradicional como os outros em que falo de bandas, curiosidades, vídeos entre outros. Hoje o post é especial e se chama Perdidos pelo espaço !

Perdidos pelo espaço vai relatar bandas que ficaram para trás, ou seja, bandas que não fizeram o sucesso merecido ao longo de sua carreira. E a pergunta mais escutada é porque elas ficaram perdidas ? Apesar de terem feito sucesso em sua época, só são lembradas pelos guru, amantes e jornalistas do assunto.

Essa pergunta não é difícil e quando se começa uma banda e alcançar o sucesso tem que ter garra, talento e sorte. Faltou garra? Talvez, faltou talento? E muito, e se faltou sorte? Sim, é o que mais faltou. Alguns se perderam através de brigas, falta de talento, sorte, garra, problemas com gravadoras, hora errada e assim vai.

São inúmeras bandas que se perderam, então é impossível mostrar todas nesse post. Mas mesmo assim nossa intenção é das melhores, e por isso vou tentar relatar algumas delas.



Começamos la pelos anos 60 e 70. Como sabemos o Hard Rock era pouco motivado, e sua definição era Atitude de mais e menos frescura. O Humble Pie era uma ótima banda que ao longo sua carreira uniu o Rock com a qualidade.

Mesmo o grupo tendo uma formação cheia de controversas, já rolou nomes como Peter Frampton e Steve Marriot. Seus clássicos fazem ainda a cabeça daqueles guru do Rock. Tin Soldier, Shine On, 30 Days In The Hole, For Your Love, Hot Nasty, enfim, o Pie tem uma grande discografia mas é pouco lembrada hoje na influência do Rock.

No começo dos anos 70 o estilo já vinha se fortificando, e o lado B mais ainda. O Dust é uma das bandas mais injustiçadas da década, e do Hard. Afinal, creio que a maioria que vai ler esse post não a conhece.

Formado por Richie Wise, o baixista Kenny Aaronson e o baterista Marc Bell ( futuro Marky Ramone do Ramones ) o Dust só lançou dois discos, uma vida curta que foi ótima. O segundo pronunciado como Hard Attack é muito bom e é considerado uma pérola do Hard setentista. O Purple deve ter ficado com inveja...

Um outro caso bastante injustiçado é o April Wine, grande banda que merecia muito mais do que teve. Assim como o Dust ficou para trás, mesmo tendo uma discografia excelente e grande. Recomendo muito essa ótima banda canadense.



Ainda nos anos 60 e 70 o Lucifer's Friend, o The Guess Who e o Sweet faziam Rock N Roll de qualidade e ambos foram boas bandas. O Lucifer´s era mais sujo e direto, diferente do Guess Who que levava o Rock na pegada em um Hard Rock mais americanizado. Já o Sweet ditava as regras do Glam Metal, uma excelente banda.

Alguem ja deve ter ouvido falar do Foghat ! Quem jogou Guitar Hero sabe do que estou falando. Slow Ride fez bastante sucesso, mas a banda foi sendo pouco importante na influência do Rock. O conjunto foi muito importante e deve ser bem escutado.

O Bugdie também fazia Hard puro, assim como Triumph, ótimas bandas. O Triumph puxava mais para o Heavy Metal, e o Budgie era mais direto e grosso no estilo do Thin Lizzy.  E você já deve conhecer o Whitesnake, a banda não esta aqui por ser uma banda consagrada, mas um guitarrista que passou por la chamado Adrian Vanderberg merece. Ele e sua banda Vanderberg mereciam muito mais nos anos 70.

E para representar uma banda de uma música só ? Sem dúvidas o Survivor é o melhor para fazer isso. Eye of the Tiger é o clássico que fez o brilho da banda. A música estorou porque os produtores resolveram fazer – la de tema para o filme Rocky. E vale lembrar que a banda tem qualidade e vale pena ouvir outras de suas músicas.

" O power trio Bugdie por volta do começo dos anos 70 "

Já nos anos 80 era outra coisa, o Hard estava mais popular e talvez para muitos nem melhor, mas muitas bandas foram injustiçadas. O ICON é uma banda por exemplo do Lado B dos anos 80, assim como o Autograph, ja citados em uma das edições, e com o Steelheart também não foi diferente. Eram três bandas puro ointentistas. O Brighton Rock era por vez o Glam Metal, e o Giant era uma força do AOR, mais mélodico e mais sensivel em relação ao Journey.

Ainda nos anos 80 tivemos o White Lion, uma ótima banda fez a cara desde do começo da década, e durante ela o YET, Black N Blue, Kix, Blue Muder, Warrant, TREAT e entre outras balançavam a rapaziada.

O final dos anos 80 era também forte no mundo do Hard Rock, o ótimo conjunto dos começo dos anos 90, Hardline mostra em seu som um Hard mais popular e adaptado ao começo da nova era do Rock. Talvez a ideia não tenha sido entendida, e acabou levando o grupo ao esquecimento.

Outra raridade é o Badlands, que foi composto pelo ex – guitarrista do Ozzy, Jake E Lee. Em uma banda de qualidade e pegada, infelizmente a turma do guitarrista se perdeu no espaço.

Enquanto isso, nas mulheres....

Quem acompanha o blog sabe que já falei dessa musa do Rock. Apesar de ser musa, de certa maneira não "emplacou" durante sua carreira solo. É muito interessante avaliar o desempenho da ex - Runaway em sua carreira solo. Mesmo assim Lita não deve ser desperdiçada no mundo do Rock.


" A musa Lita Ford exibindo o seu poder em um ensaio "

O Hard Rock é um mundo a ser desbravado. Pesquisem, procurem e descubram o lado B desse gênero.

Vejam essa lista feita pelo site Wikipedia para conhecer mais bandas infelizmente não citadas, lembrando que nem todas podem ser denominadas de Hard Rock. E aproveitando também, não esqueçam de perder o especial feito no Site Whiplash, no qual o autor fez com dedicação e carinho.

Infelizmente nossa série esta acabando, mais duas edições e Bye Bye. Fiquem atentos e quando citar esse post, não esqueça de nos deixar nosso devido crédito, pois plagio é crime e estamos de olho. Abraços e não esqueça de votar no blog mais quente para o Prêmio Top Blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário e sua opinião, pois é muito importante para nós. E lembrando que todos comentários serão analisados e respondidos.

Obrigado pelo comentário e Volte sempre.

Todos artigos são publicados por Guilherme M, exceto onde os autores são citados