sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Enquete - E o povo pede

COME ON AC/DC !

Essa semana a enquete que fiz sobre o Rock In Rio acabou, e fiquei bem satisfeito com ela, pois queria agradecer os 142 votos que recebemos. A enquete incluiu diversas bandas, e queria pedir desculpas se faltou alguma outra, mas enfim, reuniu desde Sabbath ao Pearl Jam. Só teve a nata do Rock.

Poucas bandas não foram votadas, e a maioria teve seus representantes. O vencedor foi nada mais nada menos que o AC/DC. Já era de se esperar, e sinto que a maioria dos amantes do Rock N ´ Roll querem ver a banda lá. E não é a toa que em outras enquetes de outros blogs e sites deram os australianos. Já em segundo lugar ficou o Kiss e em terceiro o Guns N Roses, e para te falar verdade eu queria ver todas as bandas, haha.

É isso ai pessoal. Daqui para frente terá bastante enquetes, e esperamos que todos encontram sua estrada para o inferno em Outubro. Equanto isso,  fiquem na expectativa....


Valeu e não esqueça de comentar !

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Ação e Emoção

Eai, tranquilos ?.

Hoje vim falar de dois discos lançados no ano passado de dois Mestres da guitarra. Começo falando sobre o último e mais recente disco do grande guitarrista Ronnie Wood, ou Ron para os íntimos. I Feel Like Playing foi lançado em Setembro do ano passado e conta com as participações de Slash, Eddie Vedder ( Pearl Jam ), Billy Gibbons ( ZZ Top ) e entre outros.

Quando entrou nos Stones, muitos pensaram que seria um coadjuvante no papel da banda, deixando seu amigo Keith Richards fazer o trabalho e levar a fama. É certo que Richards é o cara, mas não que Wood também não seja, se eu não me engano Richards fez um trabalho solo, e Ronnie fez inúmeros. É fato que o Stones chegou a empolgar mais ainda com a dupla.

Mas porque a quantidade em vez de qualidade ? Ronnie fez discos bons, por isso que ele é um grande guitarrista que jogou muito bem nesse álbum. A sua verdadeira sacada é demais, o Blues – Rock com Southern Rock bem feito e introduzido deixando o som mais clima e ainda mais legal, afinal, é o que ele sempre fez, não é ?.

Esse trabalho mostra o poder e a competência do cara, e mostra que ele também não se prende a um estilo único do Rock, ele é ótimo, e não devemos deixar os mérito só a ele, os músicos que ajudaram fizeram um belo trabalho. A Feel Like Playing é um disco para relaxar, é um ótimo disco que vale a pena ouvir, e se não fosse bom não estaria aqui. Compra garantida pessoal !.

Agora venho a falar de outro disco sensacional. Mas dessa vez é do grande Jeff Beck, que diferente de Ronnie Wood seguiu carreira solo a maior parte de sua carreira.
Mestre da guitarra que fez grandes discos e solos lançou Emotion E Commotion, um disco suave, calmo e belo. O guitarrista soube trazer a  essência daquele tipo de música para o disco. Belas passagens e belos solos de guitarra que quem gosta de viajar e sentir, vai gostar, sem sombras de dúvidas.

O álbum é bem clássico em relação a música e ao Rock, acho que era isso que Beck queria transmitir, que a música erudita ainda não está morta, mas uma música erudita bem moderna e agradável. E você pensa que ele deixa o Blues de fora e o Rock de fora ? Esta enganado, a faixa Hammerhaed é digna de um bom som.

Posso dizer que será mais uma pérola do Jeff Beck que está em mais de uma de suas coleções. Mais um guitarrista que mostra sua competência em apenas um disco.

Ouçam !





É isso ai pessoal, dois discos que valem a pena. Até a próxima e volto daqui um tempo com mais algumas dobradinhas.

Recado :

Corram e votem na Enquete Rock In Rio pois ela está acabando, siga a gente o Twitter @destroyercity , deixe sua pergunta no Me Pergunte e seu comentário. Também fique atento porque tem muita novidade ainda por vir.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

O que o Rock perdeu de bom ?

É pessoal, a um tempinho o grande guitarrista Gary Moore nos deixou, um ótimo músico que tocou no Thin Lizzy e claro, deixou sua marca no mundo do Blues- Rock. E do outro lado o White Stripes anuncia seu fim, banda no qual eu acho bem interessante com um som bem agradável. Vamos ver esse post !.

Gary Moore nasceu na Irlanda e começou a tocar aos 16 anos de idade, tendo como ídolos Hendrix, Clapton e Peter Green. Fanático por Blues teve uma carreira bem relevante e diversificada, tendo discos mais voltado ao Jazz, Blues e Hard Rock, ou de preferência um Rock N Roll.

Suas parcerias foram ótimas, com o Thin Lizzy fez dois discos, Nightlife e Rock Legend, mais conhecido como Black Rose, também fez uma participação com Ozzy em uma música. E como a morte é inesperada e uma hora ela chega, não foi diferente com Gary Moore que morreu na Espanha aos 58 anos.
Já a outra morte, de um lado simbolicamente é bem diferente, o White Stipes banda formada pelos irmãos Whites encerrou a carreira recentemente. Quem nunca ouviu aquela famosa introdução na guitarra de Seven Nation Army, o riff produzido por Jack White ? E não era só o cara, a irmã era marca registrada da banda e tinha plena importância, Meg White era parceira de Jack, fazendo assim uma dupla inusitada no cenário do Rock, mas uma dupla bem legal, sem esquecer disso. Com Rock Alternativo, e o Punk o White Stripes se encerra deixando um legado de mais de 30 milhões de discos no mundo inteiro, pouco né ?.

White Stripes e Gary Moore, perdas que ficaram marcadas. Valeu !



"Os covardes morrem várias vezes antes da sua morte, mas o homem corajoso experimenta a morte apenas uma vez".

William Shakespeare

Não esqueça de deixar sua opinião, pois ela é muito importante.

COMENTE !

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Agenda de Shows

Fala nação Rockeira que frequenta esse humilde blog de Rock N Roll, bom, hoje trarei mais uma lista de Agenda de Shows, vamos ver as principais atrações dos próximos meses, ou semanas.

Começamos com o Aceppt, banda no qual lançou o disco Blood In Blood,  muito aclamado no ano passado, esse clássico da atualidade já está nas lojas, e vira a ser palco no dia 15 em São Paulo.

Um dia antes o astro do Jethro Tull, Ian Anderson também se apresentara em São Paulo, um show imperdível para quem gosta do cara.


O Motorhead, o famoso Trio do Metal vem em São Paulo dia 16, Curitiba dia 17, Florianópolis dia 20 e dia 22 em Brasília, muito bom.


Ozzy Osbourne, grande Ozzy que se apresentara em São Paulo, Porto Alegre, Brasília, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Consegui garantir meus ingressos e vou estar la para acompanha – lo, vai ser muito bom, pode ter certeza.

Quem estará por vir
E para fechar a Agenda, todos sabem, haaa, mas mesmo assim vou falar do Festival. Rock In Rio vem ai, e digo que vale o ingresso pessoal.

Outros grande nomes de artistas e bandas.

Black Label Society, Blind Guardian, Destruction, Iron Maiden, Journey, Kamelot, Mayhem, Michael Schenker, Nazareth, Slash, Tarja Turunen, U2 entre outros.

Antes de adquirir seu ingresso, caso não tenha esgotado, consulte seu site ofícial.
Recado :

Votem na enquete Rock In Rio pois logo logo ela estará acabando, corra, siga a gente no Twitter, @destroyercity e confira que mais para frente tem muita novidade.

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Um grande atrás dos palcos

Fala Guys, desculpe pela demora de um post, mas agora vai, falo hoje do visionário e gênio Brian Eno.

Brian Eno, grande Brian, produtor, músico, guitarrista e tecladista do Universo do Rock. Fez grandes discos e parcerias ao longo de sua carreira, mas hoje não vim falar de sua participações e seus discos. Que tal conhecer um pouco de suas produções ao longo de sua carreira ?

Brian começou a produzir dois discos de uma dupla alemã ( muito boa ) de música progressiva, eletrônica  e experimental. Cluster & Eno" e "After the Heat, parecia que era mesmo a praia de Eno, um estilo mais experimental em relação ao Rock, que antes dominava o uso de sintetizadores. Depois fez uma bela parceria com o guitarrista Robert Freeman, no qual produziu seis discos, produções que eu recomendo, sem sombra de dúvidas.

Ainda nos anos 70 produziu um grande disco da banda DEVO, Are We Not Men? We Are Devo. Utilizava o Art Rock, com Punk e o uso de teclados, tudo por indicação de Brian. Um grande começo para o grupo DEVO.

No final dos anos 70 ele chegaria a produzir três compactos mais belos da história do Rock, a Trilogia de Berlim que ganhara um especial mais para frente. A Trilogia de Berlim foi ideia do mestre David Bowie e a produção de Brian Eno. Foi uma produção em tanto com uma bela arte de Bowie, ou seja, uma trilogia do cassete. Dentre os discos Low, Heroes e Lodger, Heroes me deixa eufórico, mas isso é papo para depois, assim como a parceria entre Bowie e Eno.


NO NEW YORK ...

Um coletanea de prato cheio, o disco contém músicas de quatros artistas, mas isso não impede de ser muito bom, virou cena no Underground do rock dos anos 70, formando o movimento No Wave. Eno era ainda importante por fazer arte, aliás, posso defini – lo em uma palavra, ARTE.

Com o U2 fez inúmeros discos, as belas produções do U2 se deve a ele, sabe muito bem o que fazer na hora certa e no tempo certo, The Joshua Tree é o que diga, um dos belos discos do U2 no auge de sua carreira.

Com o Art Rock na veia, Brian produziu um excelente disco com David Byne ex – Talking Heads, um disco em plena forma do Art Rock , New Waw e Experimental, para mim um discão. Falando no Talking Heads ele fez lindos trabalhos, a banda era a carta do baralho de Brian, a carta que ele estava precisando, era bem sua praia, essa junção foi ótima, assim como as outras.


Brian também produziu discos de Paul Simon, Coldplay, Grace Jones e entre outros, para quem se interessa.

É pessoal, esse foi o Brian Eno em suas produções, grandes produções que renderam muito sucesso e aclamação pela crítica, quando voltar a fazer um post dele, vai ser para falar de suas parcerias e discos com elas. Enquanto isso vocês vão curtindo suas produções, e como disse, só podemos defini – lo em uma palavra, ARTE. Até Rockeiros.

Uma parte de mim tornou-se imortal, fora do meu controle
Brian Eno
Todos artigos são publicados por Guilherme M, exceto onde os autores são citados