quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Hard no Ritmo do Rock - Parte 2


No nosso primeiro post sobre Hard no Ritmo do Rock vimos o surgimento e bandas que complementaram o gênero. Veja agora a continuação dessa série.

Sabemos que o Hard Rock é um dos genêros mais escutados pelo mundo do rock, e um artista que representa melhor esse gênero no final dos anos 60 e começo dos anos 70 é um tal de Alice Cooper.

Alice Cooper lançou vários álbuns e singles em sua carreira solo. As musicas mais conhecidas do cara são os clássicos "School Out", "No More Mr. Nice Guy" e "Poison". Um vocalista engraçado, e claro, um verdadeiro showman. De 70 levou seu Hard no ritmo até os anos 90, atravessando décadas.

Alice Cooper criou um estilo, e não podia faltar nessa série de jeito nenhum.



1973 - O número da sorte.

O Hard Rock vinha se consolidando a cada medida. Não se deixando intimidar com o piscodelismo o Aerosmith lança em 1973 seu primeiro disco. Com o mesmo nome, o disco da banda chegava e agradava os ouvidos de qualquer rockeiro da época. Um dos meus discos preferidos da banda, e para mim um dos  melhores.

Steven Tyler, Joe Perry, Tom Hamilton, Brad Whitford e Joey Kramer faziam da banda um clássico que duraria muito. Com os agudos de Tyler e a guitarra fuminante de Perry a banda lança mais álbuns nos anos 70 e 80 que valem muito a pena.

Chegando até os dias de hoje o Aerosmith faz shows para o mundo inteiro. Não gosto de sua fase Pop, caracteristica que infelizmente bandas de Hard adotam ao longo do tempo.


De vários gêneros que vinham desde o Blues ao Piscodelismo o Hard estava ganhando seu espaço, e quem ajudou mais ainda foram os gênios do Queen. Em 1973 o Queen lançava seu primeiro álbum. Foi bem aceito pela crítica, mas não merece tanta atenção quanto os que vem depois. De tantos álbuns bons e clássicos da banda, fica difícil classificar o melhor.

Quem nunca ouviu falar do Queen ? A voz poderosa de Freddie Mercury mergulhava de cabeça em seus shows, não deixava de transmitir ao longo dos anos seus sentimentos em suas baladas. A guitarra inconfundível de Brian May, as composições de Taylor e John Deacon, tudo isso formava uma banda única.

O som único do Queen.

A banda acabou com a morte de Mercury, morreu em 1991 vitima de AIDS.


Aquele som vinha instigando muitas pessoas por estilo e música. Os mestres fizeram isso valer.

Esse foi um post curto. Conheçam o Hard de perto através de nossa série. A continuação de Hard no ritmo no Rock é no proximo mês.

Aguardem.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Destroyer no Prêmio Vagalume

Estou participando no prêmio Vagalume para blogs de Rock.Minha idéia não é ganhar esse prêmio,e sim fazer uma boa divulgação do blog e quem sabe chegar a uma boa posição.

Muito Rock N Roll a todos e vote no Destroyer.


sexta-feira, 17 de setembro de 2010

40 anos sem Jimi Hendrix

Há a quarenta anos atrás o mundo da musica e do rock perdeu um grande guitarrista.O nome dele era James Marshall "Jimi" Hendrix.

Revolucionário, musico e guitarrista são os elementos que enquadram um homem tímido,típico de Seatlle. Hendrix começou a tocar guitarra aos 16 anos e anos mais tarde se alistou no exército. Começou sua carreira em 1965 por bandas locais, e foi descoberto e aclamado pela região.

Em 1967 nasce o Jimi Hendrix Experience, banda na qual consagrou Hendrix junto com o baixista Noel Redding e o baterista Mitch Mitchell. A banda levava um som piscodelico com solos alucináticos de Hendrix bem entrosado com o baixo e a bateria enlouquecida de Mitch.

O primeiro disco da banda foi no mesmo ano. Are You Experienced ? é um clássico e conta com os sucessos Hey Joe, Purple Haze, Stone Free entre outros. Um dos marcos dessa banda foi o Festival de Monterey, onde Hendrix faz aquela famosa cena de tacar fogo em sua guitarra. Esse festival foi muito importante para a banda, lançou ela no mundo com uma presença impecável dos integrantes.

No mesmo ano a banda lança Axis: Bold as Love, outro sucesso que vai bem nas vendas. O disco conta com a musica Litte Wing e o clássico Voodoo Child, musica na qual Hendrix inova usando o Pedal Wah Wah.
Falando em inovação, o musico fez várias em sua carreira, e a inovação do Experience não durou muito, a banda acabou em 69 por problemas, e seu último álbum foi Electric Ladyland, um disco longo e bom.

" Você pode notar a banda no Hall da fama do Rock N Roll em 1992 ".


A piscodelia e o sucesso do Experience inspirou Hendrix a fazer seus discos solos e criar mais uma banda. Bandas vão e histórias também, o guitarrista tocou e conheçeu grandes músicos. Influenciado por Bob Dylan ele fez a banda Gypsys, banda que teve vida curta.

Com seu jeito louco e inovador de tocar Hendrix influenciou. O musico era extravagante e canhoto, mesmo sendo canhoto tocava com uma guitarra para destro, naquela época e pode se dizer que até hoje isso é um máximo, para poucos.

Jimi  morreu em 18 de setembro de 1970 aos 27 anos de idade, o laudo de sua morte deu overdose de remédios. Hendrix morreu em Londres em seu hotel, na noite anterior,s egundo os médicos ele tinha tomado 9 comprimidos para dormir, mas a morte foi apontada quando Hendrix se afogou em seu própio vômito, composto principalmente de vinho tinto.

        "Eu tenho sido imitado tão bem que ouço as pessoas copiarem meus erros"
Depois de sua morte foram lançados cinco discos, gravações que o rockeiro fez antes de sua morte. Com sua Stratocaster na mão ele fez o mundo parar no Festival de Woodstock, um dos festivais mais importantes do mundo, selando a paz e armonia. Quem nunca viu sua apresentação nua e crua em uma segunda fria e feia ?.Mesmo assim o lugar foi a mil.

Discografia :

The Jimi Hendrix Experience


Are You Experienced (1967)
Axis: Bold as Love (1967)
Electric Ladyland (1968)

Jimi Hendrix/Band of Gypsys

Band of Gypsys (1970)

Álbuns póstumos

The Cry of Love (1971)
Rainbow Bridge (1971)
War Heroes (1972)
Loose Ends (1974)
Valleys of Neptune (2010)

Vou terminando esse post e vou deixando um clássico dele. Vejam e não esqueçam de votar no Destroyer para o prêmio Vagalume para blogs de Rock. Semana que vem vou dar continuidade a série Hard no ritimo do Rock.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Agenda de Shows

Continuando com mais um post sobre a Agenda de Shows.Fique por dentro dos próximos shows,datas confirmadas e quem estará por vir aqui no Brasil.

    Rush

O trio canadense se apresentará em São Paulo no dia 8/10 e no Rio de Janeiro,dia10/10.

    Rob Halford

O Heavy Metal de Rob Halford confirmou data em São Paulo no dia 24 de Outubro em São Paulo.

   Twisted Sister

I Wanna Rock vai ser executada em Curitiba - PR no dia 26/11 e em São Paulo no dia 27.

   Europe

O Hard Rock do Europe vai rolar em São Paulo no dia 5/11.

    Festivais

Rock In Rio e SWU foram confirmados e vão acontecer.Dois festivais de tirar o fôlego,só resta saber se vai ter atrações ótimas.

    Quem estará por vir


Outras bandas e artistas que merecem destaque :

Scorpions,Peter Frampton,Green Day,Bon Jovi e Paul Di Anno.

Obs :

As informações destas agenda podem estar incorretas; sugerimos que você faça contato com os organizadores dos shows e pesquise,para informações seguras.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Hard no ritmo do Rock.


Estou abrindo aqui no Destroyer nossa nova série, chamada Hard no ritmo do Rock.

O Hard Rock começou no meio da década de 60, mais precisamente nos Estados Unidos e no Reino Unido. Ganhou sua devida popularidade no final da década, e é um dos genêros mais vistos e escutados do Rock N Roll. Riffs marcantes, solos, rockeiros e mulheres foi marcado por uma era que marcou época. Veja agora o começo de Hard no ritmo do Rock que foi dos anos 70 até o final dos 80.

Pode se dizer que começou com as bandas Cream, Rolling Stones, The Yardbirds, The Who, The Kinks, Hendrix entre outros. O Rock já vinha ganhando forma desde Elvis, Bill Haley, Beatles e os pioneiros do Rock, mas esses e muitos outros só acrescentaram o que faltava ao Hard Rock.


"Rolling Stones, deixem as pedras rolarem".

Naquela época o Hard Rock vinha ganhando seu espaço. E uma das bandas que deu espaço para isso acontecer foi o Deep Purple.

A trûpe de Blackmore e Ian Gillan lançaram três álbuns até o começo dos anos 70. Shades of Deep Purple, The Book of Taliesyn e Deep Purple. Depois dos anos 70 vieram a " santíssima trindade " In Rock, Fireball e Machine Head, junto com eles vieram uma porrada de musicas boas e também o sucesso.

Os riffs e solos de Blackmore influênciaram uma geração, ou seja, a banda influênciou. Smoke On The Water é imortalizada por todos, assim como Highway Star, a bela e sombria Child in Time e  entre muitas outras pérolas que o quinteto composto por Ian Gillan ( Voz ), Blackmore ( Guitarra ), Jon Lord ( Teclado ), Roger Glover ( Baixo ) e Ian Paice ( Baterista ) fez.

Depois do fim de Machine Head a banda perdeu duas peças importantes, saiu Ian Gillan e Roger Glover para entrar David Coverdale ( no qual falaremos mais tarde ) e Glenn Hughes. Duas mudanças a altura, que zizeram o clássico Burn de 74 que foi muito bem aceito pela crítica, e o discasso Stormbringer.


"Imortalizada pelo Rock, Smoke On The Water é um hino"

Agora deixando o Purple de lado .É impossível não falar de Led Zeppelin nessa empreitada, nem que seja um pouquinho.

A banda foi percussora do Heavy Metal e do Hard Rock. Uma das bandas mais importantes da história do Rock teve uma importância absurda para o Hard Rock. Jimmy Page, Robert Plant, John Paul Jones e John Bonham fizeram inúmeros álbuns e clássicos.

Falar do Led Zeppelin agora vai me custar muito tempo e dedicação. Em breve você verá um especial sobre essa banda que deixa todos loucos.

O Hard Rock demorou para ser imortalizado, pode ser dançante e alegre. Não é feito através de quatro instrumentos. Grandes músicos que fizeram esse gênero com tanta maestria usaram teclados, pianos, gaitas, mostrando o "barato" que é esse som. Sem esquecer também que abriu novas portas para outros genêros que vieram em torno de sua época ou depois.

Pegando carona do quarteto fantástico, a gente encerra esse post com eles.


No próximo post :
Alice Cooper, Aerosmith, Queen e o início do sucesso.
Todos artigos são publicados por Guilherme M, exceto onde os autores são citados