terça-feira, 5 de julho de 2011

Há 40 anos atrás uma poesia se apagava.



3 de Julho passou que nem vento, e nesse dia grandes fãs e admiradores da banda The Doors prestou sua homenagem ao seu grande vocalista e poeta Jim Morrison.

Há 40 anos atrás uma poesia morria. Morrison nasceu nos Estados Unidos e em 1965 já estava fechando com o The Doors. Mas sua meta mesmo foi alcançada em 67 quando ouviu pela primeira vez o clássico “ Light My Fire “ nas rádios americanas. Mesmo não querendo que as produtoras encurtassem os clássicos da banda, a sede insaciável de reproduzir os Doors nas rádios eram muito grande.

Não só foi a meta de ouvir uma música do qual compôs e cantou na rádio, era o disco de estréia da banda alcançando patamares gigantescos na historia do Rock. Depois a bela e sombria “ The End “ começa a dar seus primeiros passos no mundo, além da contagiante “ Break On Through “.

Sempre fascinado por poesia, Morrison era aclamado pela critica por ser um poeta do Rock. Para muitos foi o primeiro a fazer o estilo. Cada letra que cantava tinha algo a transmitir, umas sobre amor, outras sobre morte, gloria, ódio e tudo que o cercava durante o tempo que vivia.

E não fez só a expressão “Poeta Rock “. Criou um estilo que é o clássico dos rockeiros, calça de couro e uma jaqueta. Jim e os Doors criaram um novo jeito de criar e ver as coisas. Naquela época os Beatles já não eram tão atacados pelas fãs , Morrison também era alvo e a cada lugar que ia tinha seu casaco rasgado ou um arranhão em seu pescoço.


" Jim Morrison e o Doors. Uma grande banda com uma qualidade imensa "

Considerado a “ contra – cultura “ da época, qualquer televisão na época tinha insegurança e ao mesmo tempo desejo de mostrar Jim e os Doors na televisão. Morrison não sabia dosar palavras, sempre polêmico. Talvez hoje ninguém vê as palavras de Morrison polêmicas, eu pelo menos , dependendo da ocasião não. Mas eram outros tempos...

Chegou a ser preso em um dos seus episódios mais famosos, que bêbado fez atos não muito bons no meio de seu show, além de provocar um motim contra os policias presentes na apresentação.

Jim tinha um belo timbre e uma bela voz. Era dono de uma criatividade muito grande afirmava o tecladista e amigo Ray Manzarek, mas que também não conhecia o dono daquele limite. Todos podem falar que ele era louco e nunca se encontrava em perfeito juízo, mas também terá que falar de sua habilidade e talento musical.


“ No cinema deixou um filme. HWY: An American Pastoral é o filme em que o músico estrelou “

Com o The Doors, Morrison estava em seu sexto disco, e certamente se preparando para uma possível carreira solo. Depois de um certo momento de sua carreira, foi exilado em Paris. Descobriu uma cidade no qual amou pela primeira vez que a viu. Passou um tempo por lá até que foi parado aos 27 anos na banheira de sua casa. James Douglas Morrison morre.

Até os dias de hoje sua morte envolve a crítica e os fãs do Doors. É um enígma que cerca o mundo do Rock. O laudo médico deu ataque cardíaco, mas muitos biógrafos e fãs alegam que foi por overdose e até assassinato. O famoso cemitério Père-Lachaise é o lugar onde o corpo se encontra, situado em Paris.

Ao certo nunca saberemos, alguém aqui já ouviu a “ A maldição do 27 “ ? Se sim sabe do que estou falando. Jimi Hendrix, Janis Joplin, Brian Jones e Morrison morreram aos 27 anos, todos praticamente na mesma época. Pode ser uma hipótese, por mais louca que seja. Mas não estamos aqui para debater sua morte e sim homenagear esse grande músico que há muito tempo nos deixou.

Há 40 anos atrás ele já dizia que queria o mundo.

“ Queremos o mundo e o queremos...agora “

Jim Morrison

2 comentários:

Deixe seu comentário e sua opinião, pois é muito importante para nós. E lembrando que todos comentários serão analisados e respondidos.

Obrigado pelo comentário e Volte sempre.

Todos artigos são publicados por Guilherme M, exceto onde os autores são citados