quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Randy Rhoads - A pessoa certa, no lugar certo


Los Angeles, 1980. Estava um dia exaustivo e lá estava nosso querido Ozzy esperando mais um músico para se apresentar. Há essa altura, ele já devia estar com suas cervejas em mãos, que não atrapalharia nem um pouco o que ele veria minutos depois. Diante de sua porta entrava um baixinho, magro, com cabelos loiros,  com sua Gibson Les Paul, segurando um amplificador pequeno. Era Randy Rhoads se apresentando na audição para a nova banda de Ozzy Osbourne.

Randy começou a afinar a guitarra e Ozzy já proclamava :

-  " O Show é seu "
- " Mas você nem me ouviu ? "

O Madman sentiu que era aquele guitarrista que o acompanharia em sua nova jornada, que ficasse marcada pela história do Rock. Logo depois se juntaram o baixista Bob Daisley e o baterista Lee Kerslake,  formado assim a Blizzard Of Ozz.


Um ano antes, Ozzy havia sido demitido do Black Sabbath, e os dois precisavam se reerguer na cena musical novamente. O Sabbath ganhou um anjo. Ronnie James Dio  fez junto com Tony Iommi, Geezer Butler e Bill Ward o fantástico Heaven And Hell. Ozzy também ganhou o seu, na verdade dois. Sharon que na época era sua futura esposa e Randy Rhoads o talentoso músico que foi decisivo para que o vocalista tomasse as paradas. Já Rhoads, tinha acabado de sair do Quiet Riot, onde fez ótimos discos. Estava naquele dia de audição porque um baixista de uma banda de Los Angeles, Dana Strum ( Slaughter ) fez um teste para ser o baixista, e contou que Ozzy estava procurando também um guitarrista. 


É normal que a critica e boa parte dos fãs comparem os dois. Quem reinou na década de 80 ? Ozzy Osbourne ou Black Sabbath ? Isso não importa, o que importa é que os dois acharam o caminho para continuar a trilhar suas histórias.



" E assim estava formada a Blizzard Of Ozz. Ozzy , Randy Rhoads, Bob Daisley e Lee Kerslake "


Naquele mesmo ano saía para o mundo inteiro * Blizzard Of Ozz. A repercussão foi muito grande, principalmente pelo lado de Rhoads que era o prodígio e futuro da guitarra, segundo os principais jornais e meios musicais da época. O impacto que sua guitarra causou foi tão grande quando Jimi Hendrix colocou seus solos no histórico Woodstock e quando a meninada ouviu pela primeira vez " Eruption " de Eddie Van Halen. " Mr Crowley " traz um solo muito bom,  sem esquecer do riff contagiante de " Suicide Solution ", mas o auge fica mesmo com o clássico " Crazy Train ", desde sua introdução até seu solo. A técnica Two Hands ( Tapping ) era a mais importante característica e surpresas de Rhoads, que ficou conhecida mundialmente com Eddie Van Halen anos antes. " Crazy Train " foram uma das coisas mais malucas e divertidas que vi na minha vida.


Agora vamos pular o ano de 1980 e poupar os detalhes do disco e da época. Em 1981, o grupo lançou Diary Of a Madman. Realmente era inferior ao primeiro e clássico álbum, mas ainda sim, é uma paulada certeira, um puta disco. " You Can't Kill Rock and Roll ", minha preferida, é linda e se destacou como a primeira balada de Ozzy em sua carreira, além da faixa - titulo que tem um ar de de Rock dos anos 2000. A parceria Ozzy/Rhoads estava muito produtiva, porque Ozzy sabia fazer Rock, e Rhoads sabia fazer o Roll.

Nisso, a banda caiu na estrada. Fizeram uma turnê nos Estados Unidos para promover seu mais recente trabalho. Da até para escrever um livro de todas as coisas que aconteceram naquela épica turnê. Ozzy andava completamente sem rumo e descontrolado pelo abuso da bebida e cocaína. A cada a dia arranjava confusão, e Sharon ( seu anjo da guarda ) começou a deixa - lo pelado e esconder suas roupas para que ele não saísse do hotel. Mas ela não conseguiu impedir que ele mijasse em um álamo ( monumento oficial em homenagem a independência do Texas ) sendo que caiu em cana. Enquanto isso Randy Rhoads se dedicava a música. Ele tinha um professor que estudava música clássica com ele, e foi dai que saiu " Diary Of a Madman ", de uma inspiração de Mozart. E quando a faixa ficou pronta, pouco parecia Mozart.

Todos os shows era o puro caos : " A cada dia tinha um tipo de animal em nossos pés. Vai saber o que eles pensavam "  relembra Ozzy em relação aos seus fãs. E foi anos mais tarde que ele próprio morderia um morcego vivo e pararia na UTI. Naquela altura, Bob Daisley e Kerslake já estavam demitidos da banda, e no lugar deles foram contratados o baixista Rudy Sarzo ( companheiro de Rhoads e ex - Quiet Riot ) e o baterista Tommy Aldridge.


Ozzy dando um puxão de orelha em Rhoads : " Ainda quer ir para a Universidade ? Muleque !  "

Certo dia, Rhoads surpreendeu Ozzy :

-  " Não quero mais tocar Rock. Quero ir para a universidade "
- " Você está louco, estamos estourando. Sharon disse que Diary Of a Madman pode vender mais do que Blizzard. Não pode parar agora "
- " Mas é isso o que eu quero "

Ozzy não deu trela, disse que o guitarrista estava brincando e que isso fosse resolvido ao logo do tempo. E foi essa a última conversa que os dois tiveram, quando Ozzy decidiu ir dormir, carregado de Gim  ( bebida alcoólica ) na cabeça. Pensou que era apenas uma brincadeira, mas porque não poderia ser ?

Na manhã seguinte havia acontecido a tragédia. A banda tinha parado em um lugar perto de um pequeno aeroporto. O motorista do ônibus pegou emprestado de seu amigo um avião e decidiu dar uma volta. Sem esquecer do detalhe que ele era usuário de drogas e tinha sua carteira de habilitação vencida. Rhoads decidiu passear e acabou que o avião caiu e o matou na hora. Ozzy acordou sobre fumaça, gritos e muito choro, mesmo com sua forte ressaca, conseguiu salvar um cidadão.  Foi um dos momentos mais tristes da história do Rock junto com a tragédia do Lynyrd Skynyrd, alguns anos antes.

Randy Rhoads era puro talento, não usava drogas e não bebia, apenas tomava Coca - Cola e fumava. Era um músico totalmente dedicado, porque todos que tocavam com ele diziam que ele poderia muito bem incorporar outros tipos de instrumentos e gêneros, como de exemplo o Mozart que Ozzy presenciou e umas jans de Jazz que ele fez quando entrou para a banda.

É um dos poucos caras que eu gostaria de ver o que ele iria aprontar musicalmente se estivesse vivo. Em uma entrevista realizada naquela época, Rhoads, disse que gostaria que as pessoas o vissem como herói da guitarra. Ele morreu para virar um mito. Querendo ou não, é a pessoa certa, no lugar certo.

O Príncipe das Trevas sentiu o baque, não iria ter mais seu companheiro em suas costas, como eles costumavam fazer em cada apresentação. Disse que iria parar e nunca mais subir ao palco, e com o tempo foi se recuperando. Não teria novamente um Randy Rhoads em sua vida, particular e profissional. Mas como ele é abençoado, tudo foi se encaixando lentamente...



-------------------------------------------------------

* 50 discos que você deve ouvir antes de morrer

Um comentário:

Deixe seu comentário e sua opinião, pois é muito importante para nós. E lembrando que todos comentários serão analisados e respondidos.

Obrigado pelo comentário e Volte sempre.

Todos artigos são publicados por Guilherme M, exceto onde os autores são citados